Saiba o que são Ruas Completas

Saiba o que são Ruas Completas

Movimento Conviva

Cada vez mais, cidades de todo o mundo tendem a democratizar as suas ruas, dando espaço a todos os modais de transporte de uma cidade: pedestres, ciclistas, ônibus, veículos de carga e automóveis.

Quando as ruas favorecem a todos, elas são chamadas de “ruas completas”. Um exemplo em terras brasileiras é uma rua em Porto Alegre, em que serão promovidas intervenções no trânsito e também criado um mobiliário urbano para a rua se tornar um espaço de permanência, mais do que apenas um local de passagem.

>> Barcelona cria “superquarteirões” para reduzir a poluição do ar

>> Conheça: 11 cidades brasileiras apresentam suas ruas completas


Para conhecermos melhor o conceito de ruas completas, falamos com Paula Manoela dos Santos, coordenadora de Mobilidade Ativa da
WRI Brasil Cidades Sustentáveis. Confira abaixo a entrevista:

– Como podemos identificar uma rua completa?

Não existe uma receita única de Rua Completa. Cada rua possui uma vocação e deve ser desenhada para desempenhar sua função de tráfego e permanência das pessoas. A Rua Completa é aquela que todas as pessoas acessam com segurança, conforto e conveniência, independente do modo de transporte utilizado. A prioridade na dedicação de espaço na via e direito de passagem deve ser dada para os usuários mais vulneráveis e aos modos de transporte mais eficientes. Isso coloca o transporte a pé no topo, seguido pelo transporte em bicicleta, transporte coletivo, carga urbana e, por último, o transporte individual motorizado. Essa priorização é feita através de projetos urbanos e políticas públicas.

– Quais são os benefícios das ruas completas para as cidades?

As Ruas Completas conferem benefícios sociais, econômicos e ambientais para as cidades. A melhoria do espaço viário nos conceitos de Ruas Completas promove o direito à cidade por pessoas de todas as rendas, idades e gêneros. Ruas que priorizam os modos de transporte ativo contribuem para a melhoria da qualidade do ar, além de incentivar a prática de exercícios diários. Além disso, estudos mostram que essas ruas desenvolvem melhor a economia local quando comparadas a outras vias semelhantes.

– Que tipos de intervenção são liberados pela Lei brasileira?

O conceito de Ruas Completas vai ao encontro com as diretrizes estabelecidas na Política Nacional de Mobilidade Urbana, que prevê a priorização dos modos de transporte ativo e coletivo. As intervenções urbanas que podem ser utilizadas para tal envolvem elementos básicos de infraestrutura, como calçadas, faixas de travessia, ilhas de refúgio, travessia elevadas, além de mobiliário, vegetação, iluminação etc.

– O Brasil já tem bastante ruas completas?

As avenidas Santos Dumont e Paraná na região central de Belo Horizonte são ótimos exemplos de Ruas Completas. Elas priorizam os transportes coletivo e ativo e restringem o tráfego de automóveis, conferindo a essas vias mais eficiência.

– Quais exemplos o Brasil pode absorver de outros países?

Existem diversos exemplos de reestruturação viária ao redor do mundo como, por exemplo, Vanderbilt Avenue em Nova Iorque, Bell Street em Seattle e Exhibition Street em Londres.

– Como a WRI trabalha para ampliar o número de ruas completas no país?

O WRI Brasil em parceria com a Frente Nacional de Prefeitos (FNP) formou em 2017 a Rede Nacional para Mobilidade de Baixo Carbono composta por 10 cidades brasileiras e o Distrito Federal. A Rede foi capacitada nos conceitos de Ruas Completas e elaboraram projetos de adequação de uma rua escolhida em cada cidade. Quando executados, esses projetos pilotos fornecerão dados dos benefícios das Ruas Completas e servirão de modelo para que mais cidades adotem o conceito.

Movimento Conviva

Instagran Youtube

Ciclofaixa São Paulo

Instagran Youtube

Ciclofaixa Osasco

Instagran