Rotas de bicicleta pelo mundo: Sudeste Asiático

Rotas de bicicleta pelo mundo: Sudeste Asiático

Movimento Conviva

Mesmo com o dólar nas alturas, não precisamos deixar de viajar. Afinal, se você usa a bicicleta como meio de transporte e a torna parte de sua viagem, ser turista é bem mais econômico.

Para te dar uma forcinha extra no planejamento das próximas férias, o segundo post da série que mostra rotas de bike pelo mundo contempla o Sudeste Asiático.

A região é uma das mais baratas do mundo para se viajar e oferece experiências culturais ricas e transformadoras.

Confira abaixo algumas opções de roteiros sobre duas rodas:

Angkor Wat, Camboja

 

Visitar o amplo complexo de templos de bike é uma das experiências mais completas que você pode ter na região. A região histórica é enorme e tem construções que datam do século 9 e 10. Se você por acaso chegar ao país sem bicicleta, não tem problema: eles alugam diversos modelos por lá.



Rio Mekong, Camboja

 

Caso você não se derreta por templos ou tenha sentido um gostinho de quero mais depois de pedalar pelo complexo Angkor Wat, continue no Camboja. Um dos povos mais hospitaleiros do planeta tem um rio interessantíssimo e tão fascinante quanto as antigas construções. Com extensão de aproximadamente 80 km, a parte cambojana do Mekong (que segue pela China, Burma, Tailândia, Vietnã e Laos) concentra experiências culturais pra nenhum viajante botar defeito.



Vietnã

 

Ir de Hanoi até Ho Chi Minh pela National Highway significa significa conhecer toda a costa vietnamita, uma das mais belas do mundo. Claro que ir de Norte a Sul pode ser demais para alguns pares de pernas, mas a maioria das estradas estão em bom estado. É muito comum encontrar grupos de moto fazendo grandes rotas como essa, mas se você não tiver tempo, a dica é curtir o Vietnã central e pedalar ao menos entre Hue e Hoi An – essa última, com uma das melhores culinárias do país.



Tailândia

Que tal ir de Bangkok, a capital tailandesa, até a paradisíaca ilha de Phuket em no máximo duas semanas, curtindo o melhor das comidas e cultura do país? De bicicleta, você vai ver muita gente, provar quitutes, atravessar templos, meditar, conhecer imensas plantações de arroz e tudo o mais que uma viagem assim pode proporcionar.



Laos

Um país predominantemente amigável, com tribos em regiões montanhosas, vilas na beira da estrada e templos espalhados por todo o território. Aliás, já deu para notar que o sudeste Asiático tem muitos templos budistas, né? É importante, se você quiser um passeio confortável, levar a sua própria bicicleta, porém aqui também é possível alugar bikes . A região norte pode ser o seu ponto de partida – a cidade movimentada de Luang Prabang dá as boas vindas e abre as portas para passeios de caiaque, elefante e, claro, aventuras de bike.



Malásia

Aqui você encontra diversas opções de rota e, como sempre, todas agradáveis. Se você tem fôlego, se jogue na East West Highway, que atravessa o país – mas exige um pouco de força de vontade, já que tem altimetria de 1100 metros ao longo de 167 km. Mas vale a pena – afinal, você poderá dizer, ao voltar – e em tom de voz exótico, claro -, que conheceu a Malásia de Leste a Oeste.

Importante: ao chegar na Ásia, tenha em mente que o trânsito é completamente diferente. Vai parecer muito mais insano do que o de costume, mas acredite: não é. Em pouco tempo você se acostuma com o caos, mas vá com cuidado e, a princípio, evite as vias mais congestionadas. Boa viagem!

Sobre a autora: Lygia de Luca é jornalista. Escreve para o Movimento Conviva e, para ela, a bike é uma ferramenta de empoderamento e transformação. Idas e vindas de bicicleta são compartilhadas no Instagram @lygiadeluca_