Pista de dança na vaga do carro

Pista de dança na vaga do carro

Movimento Conviva

Suando em bicas. Esse era provavelmente o estado físico de boa parte das pessoas que chegaram ao Partying Day, que ocupou a esquina da Rua General Jardim com a Rua Bento Farias, no centro de São Paulo.

A ideia do evento, no dia 7 de dezembro, foi formar uma pista de dança e um deck com piscina no lugar de vagas de carros. A praia de paulista foi um sucesso: eu mesma, assim que cheguei com os amigos, estacionei a bike no paraciclo improvisado e entrei na caçamba que estava cheia de água – fresquinha para nossos pés, cabelos e corpos inteiros de quem se jogou no calor acima dos 33ºC.

Nossa jornalista aventureira Lygia de Luca e amiga aproveitando a piscina improvisada no Partying Day. Foto: Lygia de Luca

Foi coisa linda de ver aquele espaço tomado por pessoas de bem, com ânsia de vida ao ar livre, desejo de aproveitar o cenário urbano ao máximo. Afinal, essa cidade é sua, nossa.

>> Festa no Minhocão

A ideia do Partying Day nasceu do Parking Day, que, próximo ao Dia Mundial Sem Carro, mostrou como o espaço de uma vaga pode ser ocupado alternativamente pela população de uma cidade. Na primeira festa, foram ocupadas cinco vagas e reunidas 400 pessoas.

Festa que é festa pede intervenções incríveis – embora já estivéssemos muito satisfeitos com a piscina e o deck luxuoso. O espaço tinha comidinhas feitas pelo Creative Commes e música – que, com o passar das horas, foi aumentando e tomando conta dos espíritos que ali se libertavam.

Conforme a noite foi avançando – a festa começou às 17h -, a sociabilidade foi aumentando. Incrível como a reunião de gente sem compromisso, dedicada à celebração do simples fato de estar ali, promove encontros interessantes.

Quando vi, meus óculos escuros já estavam com uma moça cujo nome já me esqueci – ela era uma performática aspirante ao nado sincronizado e vestia um maiô incrível, que pedia os óculos escuros; e quem seria eu para não ajudar o traje a ser completo?

Também conheci a Gabriela, que tinha um cravo e uma canela – cada qual em sua orelha -, e sorria oferecendo hambúrgueres aos participantes. E todas as vezes em que precisei ir ao banheiro e me infiltrar entre os montinhos de amigos na calçada, a licença me era dada, mas não sozinha: acrescida de sorrisos, o trajeto era sempre gracioso.

O evento que surgiu para abrir a mente e mostrar as possibilidades de interação com o espaço público e pessoas – novos amigos! – promete novas versões com frequência. Que sirva para nossa reflexão a respeito da convivência pois, uma vez de braços abertos, o abraço vem. 😉

E você, o que acha de festas de rua?

Foto de capa: Facebook/Caroline Barrueco

comments powered by Disqus

Movimento Conviva

Instagran Youtube

Ciclofaixa São Paulo

Instagran Youtube

Ciclofaixa Osasco