Eu no seu lugar, você no meu

Eu no seu lugar, você no meu

Movimento Conviva

Foto: divulgação

Quer uma forma mais eficiente de praticar a convivência no espaço público do que se deslocar de maneiras diferentes do que de costume e sentir na pele o que outros cidadãos ao nosso redor sentem?

Bom, nós do Movimento Conviva vamos te fazer um convite para participar desta “experiência/ missão” que pode parecer meio maluca, mas é perfeitamente possível e viável. Você topa participar e nos mandar relatos de situações que você não imaginava acontecerem de determinada forma num modal diferente?

Se você anda de carro todos os dias, porque não estipular o dia do pedestre, para você e sua família? Um dia para caminhar pelo bairro, levar as crianças para passear, encontrar os amigos, tudo a pé. E você que é motociclista, que tal andar de carro? Ok, você não tem um carro. Que tal andar de carona ou de transporte público?

Você que é caminhoneiro, uma magrela ia dar uma bela mudada nas suas “dimensões”, não? 🙂 Enquanto que os ciclistas poderiam andar como pedestres ou motoristas, nem que fosse um dia.

Para completar nosso convite para a experiência, selecionamos algumas dicas para você participar:

 

Como alugar uma bicicleta

Diversas cidades do país têm programas de locação e bicicletários públicos ou patrocinados, com valores bem acessíveis. Na maioria destes programas é possível entregar as bicicletas em locais diferentes de onde foram retiradas e os postos ficam localizados em terminais e estações de fácil acesso como trens e metrô.

Em outras, parques, bicicletarias e empresas de cicloturismo oferecem este serviço. Veja o resultado de uma breve pesquisa na internet.

 

Isso claro, além daquele amigo que não usa sempre a bike, tem mais de uma, enfim, arrumar uma magrela para curtir uma pedalada não é uma missão impossível.

Nossa sugestão para os ciclistas de ocasião são as ciclovias, ciclofaixas de lazer e regiões bem calmas dentro de bairros residenciais.

 

Dá pé andar a pé!

Até numa cidade como São Paulo, nacionalmente conhecida por sua grande extensão e distâncias de um local para outro, é possível fazer programas e se divertir a pé. Algumas sugestões que valem não só para a capital paulista, mas para cidades de norte a sul do país.

 1. Comece o dia com um bom café da manhã e passeie pelas ruas de seu bairro. Se você tiver filhos e seja um morador de longa data da região, vale dar uma de guia turístico e contar a história do bairro para os pequenos. Mostrar plantas, comprar um gibi na banca, sentar numa praça.

 2. Grandes cidades têm centros interessantíssimos. No Rio, por exemplo, andando pouco, você pode conhecer igrejas belíssimas, a famosa sede da Confeitaria Colombo, museus e prédios históricos.

Foto: divulgação. Fachada Confeitaria Colombo

3. Em São Paulo, existem parques como o da Água Branca, Burle Marx, Alfredo Volpi com áreas muito agradáveis para caminhar, jardins botânicos, minifazenda. Isso sem falar na rede SESC, a maioria instalada em pontos próximos a estações de metrô e trem ou terminais de transporte público.

 

De metrô ou ônibus 

Ir ao cinema, visitar uma exposição de arte, passear num shopping ou até mesmo conhecer os pontos turísticos da cidade através de uma linha especial. Levar os pequenos para conhecer o metrô, irem nas bibliotecas das estações e curtirem a experiência. Enfim, inúmeras são as possibilidades para se relacionar com o espaço público de uma nova forma. 

Em Natal, existe o centro cultural Dragão do Mar; em São Paulo, o Museu da Língua Portuguesa (um passeio completo, com direito a metrô, estação de trem, parque e museu tecnológico); em Porto Alegre, você pode visitar o centro cultural instalado na Usina do Gasômetro e “ainda” conferir um pôr-do-sol inesquecível à beira do Rio Guaíra. A gente poderia fazer uma lista imensa de coisas legais de inúmeras cidades, mas nossa proposta aqui é deixar claro que toda cidade tem seus mistérios e encantos e é possível desvendá-los de uma forma diferente da cotidiana como é o convite para a nossa experiência maluca…rs

Foto: divulgação. Estação da Luz, que faz parte de complexo cultural junto com Museu da Língua Portuguesa, Pinacoteca, Estação Júlio Prestes e Sala São Paulo.

 

Sobre duas, quatro ou muitas rodas 

Eis as “missões” mais difíceis da nossa experiência/ missão “eu no seu lugar, você no meu”. Se você não tem uma moto, um carro ou um caminhão fica bem mais difícil sentir como é se deslocar com um deles. Então, bora usar a criatividade e resolver este obstáculo? 

A primeira sugestão é a nossa sustentável, eficaz e personificação da convivência: a carona (inserir link do post). 

A segunda é juntar alguns amigos, familiares e pegar um táxi. Nas cidades com serviço de mototáxi regulamentado a sugestão também vale para as duas rodas, devidamente protegido o piloto e o passageiro, documentos e habilitação em dia. 

E a missão mais “periclitante” se deslocar num caminhão. Se não houver forma viável de fazer isso fisicamente, a saída é virtual. Aqui neste link é possível dirigir um caminhão e como diz a descrição do jogo “é possível sentir um pouquinho da sensação e adrenalina de dirigir um caminhão em alta estrada passando por rodovias cheias de carros e outros caminhões. Assim como em nossas  rodovias na vida real, você tem que cuidar quando for fazer ultrapassagem, respeitar o limite de velocidade”.

 

E aí “bora” participar da experiência e exercitar a convivência? 🙂

 

 

Movimento Conviva

Instagran Youtube

Ciclofaixa São Paulo

Instagran Youtube

Ciclofaixa Osasco

Instagran