Corredores especiais

Corredores especiais

Movimento Conviva

Foto: divulgação. http://bit.ly/IlSjfG.

Apesar do nome, os corredores especiais implantados nas grandes cidades não são para os “apressadinhos.com”. Os corredores são vias delimitadas para determinadas categorias de veículos, com regras e condutas bem estritas, que devem ser respeitadas em prol da convivência em harmonia, que tanto nós do Movimento Conviva pregamos.

Neste post vamos falar sobre estas regras e condutas, e ainda dar dicas de como compartilhar os corredores. Antes de mais nada, gostaríamos de deixar claro que não estamos falando de corredores criados extraoficialmente, como os corredores de motos, e regulados por uma espécie de código tácito, aceito e respeitado por quem circula pelas cidades cotidianamente.

A implantação e regulamentação dos corredores especiais é feita no âmbito municipal, ou seja, cada município determina os seus e como eles serão utilizados. Por isso, vale a pena pesquisar junto à Prefeitura ou Secretaria Municipal de Transportes da sua cidade para saber como funciona onde você mora.

De qualquer forma, vamos abordar algumas questões que são repetidas em diversas cidades:

–   Os corredores especiais são diferenciados das demais vias com faixas, marcas de solo, obstáculos (olhos de gato) e alguns canteiros.

Foto: divulgação Agência Brasília

–   Ao avistar placas sinalizando a existência de um corredor, não insista em permanecer na faixa que está, porque normalmente estes avisos são instalados bem próximos do começo de um corredor e você pode não conseguir sair mais à frente.

–   Quando não são faixas exclusivas, os corredores possuem placas indicativas que dizem os horários que estão liberados para o tráfego de todos ou de determinados veículos.

–   A velocidade nestas faixas também pode ser diferente da via ao lado. Fique atento à sinalização.

–   A maior parte dos corredores especiais é dedicada aos ônibus e a veículos de transporte coletivo. Em algumas cidades como São Paulo, táxis com passageiros (sem película de escurecimento de vidros) e veículos de emergência também podem utilizá-los. Atitude de respeito: não burlar o que está determinado. Taxistas sem passageiro não têm direito de utilizar os corredores.

–   Em algumas regiões e cidades, principalmente as que têm problemas de engarrafamentos nos horários de pico, corredores especiais são montados na mão inversa e para incentivar o transporte solidário e carona, estes corredores só podem ser usados por carros com mais de 2 pessoas. Assim como os taxistas, não respeitar esta determinação é uma atitude que vai contra a convivência em harmonia no espaço público.

–   Trânsito parado, corredor livre, a vontade pode ser grande de utilizar os corredores especiais para o transporte coletivo, mas o respeito deve ser maior. Nós do Conviva acreditamos e apostamos na atitude, no bom senso e no livre arbítrio para decidir o melhor para todos. Mesmo assim, vale lembrar que radares e câmeras de monitoramento existem e estão instaladas nos corredores para fiscalizar e punir quem não respeita isso.

–   Ao entrar e sair dos corredores, todos os condutores, motociclistas, ciclistas devem redobrar a atenção, bem como não esquecer de sinalizar com antecedência este movimento.

–   Motoristas de transporte coletivo e todos os condutores nos horários permitidos devem tomar cuidado com as condições dos pavimento dos corredores. Muitas vezes eles possuem enormes ondulações e desníveis em relação as outras pistas, que podem ocasionar acidentes.

–   Não é porque estão livres e se chamam corredores, que estas vias especiais são adequadas para competições de velocidade máxima. Pedestres, animais, veículos invadindo a faixa, são tantas as circunstâncias de risco, que é um risco assumido trafegar em alta velocidade nestas faixas especiais.

Em São Paulo...

Foto: divulgação. http://bit.ly/Jw8w30.

Em São Paulo, a cidade com a maior frota de veículos (todos os tipos de modais de transporte) e maior circulação de pessoas, conhecer as regras para os corredores especiais é quase impossível. Além da sinalização deficiente, esta dificuldade se dá porque desde2005, aPrefeitura, através da Secretaria Municipal de Transportes (SMT) renova semestralmente a autorização para circulação de táxis  nos corredores, além das regras de circulação de veículos de passeio nestas faixas especiais em horários ociosos. Por isso, paulistanos, dica Conviva, fiquem atentos 🙂

O que está valendo até março de 2012:

Veículos de passeio estão autorizados a utilizar os corredores especiais nos fins de semana, feriados e diariamente durante as madrugadas, desde que respeitados os seguintes horários:

–   Diariamente, das 23 às 4 horas;

–   Nos fins de semana, das 15 horas do sábado às 4 horas da segunda-feira;

–   Nos feriados, da 0 hora às 4 horas do dia seguinte.

Táxis também têm autorização até março de 2012 para circularem nos corredores da capital,desde que os veículos estejam transportando passageiros e não possuam película de escurecimento nos vidros, porque ela dificulta a visualização do interior do carro pela fiscalização. O embarque e desembarque de passageiros nos corredores está terminantemente proibido.

Os corredores de ônibus liberados para o tráfego são: 

• Pirituba/Lapa/Centro 
• Inajar/Rio Branco/Centro 
• Campo Limpo/Rebouças/Centro 
• Santo Amaro/Nove de Julho/Centro 
• Jardim Ângela/Guarapiranga/Santo Amaro 
• Capelinha/Ibirapuera/Centro 
• Parelheiros/Rio Bonito/Santo Amaro 
• Itapecerica/João Dias/Centro 
• Paes de Barros.

A autorização para circulação não é válida no corredor Metropolitano Diadema – São Paulo (Morumbi), que é de responsabilidade da EMTU, e não da SPTrans.

Foto: Blog Litoral Bus. Em Santos, os corredores também funcionam em horários determinados.

Movimento Conviva

Instagran Youtube

Ciclofaixa São Paulo

Instagran Youtube

Ciclofaixa Osasco

Instagran